Wikipedia

Resultados da pesquisa


"Você não pode ensinar nada a um homem; você pode apenas ajuda-lo a encontrar a resposta dentro dele mesmo."
Galileu Galilei

4 de maio de 2010

TIAGO, JAIME, JACQUES, JACOBO

Você já ouviu falar em dois santos da Igreja chamados Tiago:
Tiago o Maior (ou mais velho), irmão de São João Evangelista; e Tiago o Menor (ou mais moço), também apóstolo?
Pois bem, não existe a rigor santo nenhum assim chamado, nem jamais existiu tal nome na onomástica antiga.

Houve dois apóstolos cujo nome em latim era Jacobus ou Iacobus, que veio a dar em português e no espanhol Iago, a par de Jacó, Jacob e Jacobo.
Em francês, ele derivou para Jacques, e em inglês para James, forma esta que viria a dar origem a outra versão portuguesa do nome Jaime.
Como foi, então, que surgiu este Tiago?
A coisa é curiosa.
Quando o nome de um santo começa por consoante (com raras exceções, como Santo Tirso), cai a sílaba final (to) da primeira palavra da expressão.
Assim, em vez de Santo Gregório, usa-se São (San) Gregório; em vez de Santo Martinho, São Martinho, etc.

Por outro lado, quando o nome do santo ou santa começa por vogal ou h, cai, na pronúncia, a vogal terminal da primeira palavra da expressão, pronunciando-se, assim, Sant'Onofre, Sant'Helena, Santana, embora se escreva Santo Onofre, Santa Helena e Santa Ana, respectivamente.
Ora, dizer Santiago por Santo Iago fez crer que se dera o primeiro fenômeno, a apócope do "to" final, e que tal correspondia a um inexistente Santo Tiago.
Foi o que deu origem ao falso nome Tiago, agora inteiramente enraizado na língua.

– Vera Lúcia Coelho / Seleções - mar 87

0 comentários:


QUEM LÊ SABE MAIS .

05 / 08 / 2010 Arqueólogos encontram complexo subterrâneo em pirâmide no México
http://www.ambientebrasil.com.br/

Um complexo subterrâneo foi localizado sob a pirâmide de Quetzalcoatl, no sítio arqueológico de Teotihuacán, conforme divulgou o Instituto Nacional de Antropologia e História mexicano (INAH).

A construção, composta por um túnel, daria acesso a uma série de galerias sob o templo dedicado a uma das principais divindades astecas, com aspectos de serpente e de pássaro.

Segundo os arqueólogos, a entrada do complexo estaria há 12 metros de profundidade e foram necessários oito meses de escavações para descobri-la.

Os especialistas acreditam que o local pode conter os restos de governantes da antiga cidade no centro do México.

A entrada do túnel teria sido fechada há 1,8 mil anos pelos habitantes e a estrutura é anterior à construção do tempo de Quetzalcoatl. O local recebia oferendas diversas como ornamentos fabricados com conchas, jade, ardósia e obsidianas.

Ao todo, o complexo teria 100 metros de profundidade. Descoberto em 2003 por Sergio Gómez e Julie Gazzola, o complexo só pode ser explorado após sete anos de planejamento e captação de recursos financeiros. A equipe que realizou o trabalho é composta por 30 profissionais.

– (Fonte: G1)

" FRASEANDO "


voltar ao topo